Ibogaína: a planta que ajuda no combate ao vício

ibogaína tratamento do vício

Tratamento de vício é interessante, pois inclui abordagens físicas e psicológicas. Algumas pessoas se tornam dependentes por razões físicas, como o uso de prescrição para uma lesão. Outras pessoas começam a usar drogas para escapar de experiências dolorosas da vida. Não importa como o vício começa, ele acaba causando danos mentais físicos e debilitantes severos. A ibogaína tem um efeito específico no corpo que auxilia nesse processo.

As clínicas de tratamento especializado trabalham para eliminar os desejos físicos primeiro, na maioria dos casos, devido à possibilidade de doença e desconforto. A terapia pode então continuar por vários meses ou até anos. Há mais de uma maneira de tratar o vício.

O que é a Ibogaína

A Ibogaína é o princípio ativo da planta Iboga que tem o nome científico de Tabernanthe iboga. Muitas vezes permanece pequena, como um arbusto. Pode, no entanto, chegar a 10 metros de altura no ambiente certo. A planta é nativa da África Central ocidental e tem sido usada tradicionalmente na prática espiritual dos povos Babongo e Mitsogo, habitantes da floresta do Gabão. É usado para várias cerimônias e ritos e por suas propriedades medicinais. A casca da raiz é a mais utilizada. A planta inteira contém vários alcalóides, sendo a ibogaína a mais proeminente. Aprenda mais sobre o uso moderno da ibogaína com uma pesquisa minuciosa.

História

Um viciado em drogas nos Estados Unidos descobriu o efeito positivo da ibogaína nos sintomas de abstinência nos anos 60. Antes disso, no entanto, foi usado na França como estimulante de prescrição, o Lambarene. Acredita-se que ela tenha sido trazida da África por europeus desde o ano de 1899. Em 1967, foi proibida nos Estados Unidos e rotulada como droga ilegal. Todas as pesquisas sobre o uso de ibogaína para o tratamento de dependência parou neste momento. Uma nova pesquisa visa produzir um produto sem os efeitos alucinógenos, semelhante à cannabis sem o THC. Atualmente, a ibogaína é usada para tratar a dependência de drogas em vários países. Muitas pessoas viajam para fora do seu país natal devido ao seu status ilegal. A ibogaína é comprovada para aliviar os sintomas de abstinência e melhorar a introspecção psicológica.

Efeitos da Ibogaína

Uma forma de ibogaína, a noribogaína funciona como um inibidor da recaptação da serotonina. A ibogaína trabalha com diferentes receptores no organismo para causar as várias respostas psicoativas em humanos. É conhecido como um receptor k-opióide. Efeitos visuais ocorrem em muitos usuários. Esta é uma parte integrante do tratamento da dependência. Uma vez aliviados dos efeitos físicos do vício, as razões psicológicas são exploradas. Usuários de ibogaína relataram ter visto flashes de seu passado em um tipo de sonho acordado. Acredita-se que essas visões ajudem os adictos a entender melhor as razões pelas quais eles usaram drogas em primeiro lugar, como o trauma infantil. Aconselhamento é parte importante do processo de clínicas que usam ibogaína.

Leia também: Exercício aeróbico ajuda a tratar o vício em drogas

Ibogaína reage com o corpo para aliviar sintomas desagradáveis de abstinência. Também tem sido usado como anestésico. Centros de tratamento estão se tornando populares em áreas como o Brasil, México e Canadá. Os seres humanos estão cientes dos efeitos mentais e físicos da ibogaína há muitos séculos. Ela tem sido usado no mundo ocidental desde o início de 1900. O medo de suas propriedades alucinógenas fez com que alguns países proibissem a ibogaína sem mais pesquisas. À medida que se torna mais popular, a pesquisa continua em algumas áreas do mundo.

No entanto, a devida cautela é aconselhada. O tratamento do vício com a ibogaína em ambientes não médicos e sem supervisão médica pode ser perigoso, com um caso em 300 potencialmente fatais. Em países como na Bélgica, Polônia, Dinamarca, Croácia, França, Suécia e Suíça, a Iboga é proibida ou restrita. No Brasil, seu uso é legal e normalmente usada em rituais.