Cannabis e Obesidade – Consumo está relacionado a um menor IMC

cannabis obesidade imc

Neste estudo sobre cannabis e obesidade, os pesquisadores descobriram que os homens que usavam cannabis tinham um índice de massa corporal (IMC) mais baixo do que os não-usuários.

Uma questão comum é saber se existe uma ligação entre a maconha e a obesidade. Descobertas em um novo estudo publicado na revista Psychosomatic Medicine sugerem que o uso prolongado de cannabis está associado a um menor índice de massa corporal (IMC).

O índice de massa corporal é uma medida da gordura corporal baseada na altura e no peso. A medida é usada para selecionar adultos com 21 anos ou mais para categorias de peso que podem aumentar o risco de problemas graves de saúde, incluindo diabetes, doenças cardíacas, apneia do sono e até mesmo câncer. Um IMC elevado pode ser um indicador de níveis não saudáveis de gordura corporal e obesidade.

Gordura corporal elevada é um importante problema de saúde no mundo inteiro. Mais de um em cada três adultos nos Estados Unidos foram considerados com sobrepeso ou obesidade, de acordo com dados de 2013-2014 da Pesquisa Nacional de Saúde e Avaliação Nutricional. Cerca de um em cada 13 foram considerados obesos mórbidos.

CBD (canabidiol) medicinal – benefícios para dor, ansiedade e mais

Para avaliar a associação entre o uso de cannabis a longo prazo e fatores de risco cardiometabólico como o IMC, pesquisadores da Universidade do Estado do Arizona e da Universidade de Pittsburgh usaram um estudo longitudinal composto por 253 homens do Pittsburgh Youth Study.

Neste estudo sobre cannabis e obesidade, os pesquisadores examinaram os fatores de risco cardiometabólico nos homens por 25 anos, dos sete aos 32 anos. O consumo de cannabis foi medido a cada ano entre os 12 e os 20 anos, e novamente aos 26, 29 e 32 anos. .

O estudo mostrou uma ligação interessante entre a maconha e o peso corporal, revelou que uma exposição maior à cannabis estava ligada a um IMC relativamente baixo.

O IMC de uma pessoa pode ser calculado dividindo o peso pela altura ao quadrado. Um IMC saudável para adultos é considerado entre 18,5 e 24,9. Um adulto com um IMC abaixo de 18,5 é considerado abaixo do peso, e um IMC entre 25,0 e 29,9 é considerado acima do peso. Um IMC de 30,0 ou acima é classificado como obeso.

O IMC não mede a gordura corporal diretamente, mas de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças parece estar “fortemente correlacionado com vários resultados metabólicos e de doença”. Os profissionais médicos geralmente monitoram o IMC de uma pessoa para selecionar a categoria de peso porque é barata e procedimento fácil de executar.

Cannabis e Fatores de Risco Cardiometabólicos

O novo estudo da Universidade Estadual do Arizona e da Universidade de Pittsburgh também revelou uma ligação positiva entre o uso de cannabis e uma menor relação cintura / quadril (RCQ), níveis mais saudáveis ​​de colesterol, menor pressão arterial, menor glicemia de jejum e triglicerídeos e menos critérios de síndrome metabólica .

“Com exceção do IMC, os níveis médios dos usuários de cannabis nos fatores de risco cardiometabólico estavam geralmente abaixo dos pontos de corte clínicos para os riscos elevados”, escrevem os autores do estudo. “A maioria das associações entre o consumo de cannabis e os fatores de risco cardiometabólico permaneceu após o ajuste para o uso de tabaco, infância [status socioeconômico] e saúde infantil”.

Após o ajuste para o IMC de adultos, essas associações não eram mais aparentes. Segundo os pesquisadores, isso sugere que “o IMC relativamente baixo dos usuários de cannabis pode explicar seus níveis mais baixos de risco em outros fatores de risco cardiometabólico”.

Referência

Meier, Madeline H., PhD; Pardini, Dustin, PhD; Beardslee, Jordan, PhD; Matthews, Karen A., PhD. Associations Between Cannabis Use and Cardiometabolic Risk Factors A Longitudinal Study of Men. Psychosomatic Medicine: April 2019 – Volume 81 – Issue 3 – p 281–288doi: 10.1097/PSY.0000000000000665