Irisina: hormônio termogênico e anabólico produzido pelos músculos

hormônio irisina termogênico e anabólico - Irisin

Por @AlissonKalel

Já imaginou um hormônio que é um fator pró-miogênico que faz você ganhar músculos? Diminui a gordura corporal e melhora o perfil lipídico? E ainda ajuda a regular a homeostase energética? Descoberta em 2012, a irisina é o novo hormônio mais estudado para reduzir diversos problemas como doenças cardiovasculares, diabetes, osteopenia, sarcopenia entre outros.

O que é a irisina?

É um hormônio secretado pelas células musculares para agir como uma ponte entre o exercício físico e a homeostase metabólica, a quantidade de irisina circulante é proporcional a quantidade de massa magra. Estudos mostram que sujeitos que fizeram exercícios de endurance durante 10 semanas tiveram o nível do hormônio dobrado.

Ela tem ação em diversos locais do nosso corpo como o músculo, tecido adiposo, ossos, fígado e sistema nervoso. A Irisina não é somente uma miocina mas também uma adipocina, ela atua como fator de transcrição gênica em diversas células diferentes.

Durante o exercício físico ocorrem microlesões nas células musculares que produzem substâncias que avisam o corpo que aquela fibra precisa de reparação, nesse momento a Irisina tem papel fundamental. Um estudo mostrou que há uma relação entre o nível de Irisina e aumento do IGF-1 e redução da miostatina, substâncias fundamentais para a hipertrofia muscular.

Efeitos da irisina

No Tecido Adiposo ela atua transformando as células de gordura branca em gordura marrom, ativando a transcrição de uma proteína chamada UCP1 quando isso ocorre a gordura estocada é mobilizada mais facilmente para a queima, ou seja, tem efeito termogênico. Dessa forma a Irisina pode ser um fator fundamental na perda de peso e doenças relacionadas como dislipidemia, diabetes, hipertensão entre outras. Além disso a Irisina inibe a adipogênese que é o mecanismo pelo qual as gorduras são estocadas no tecido adiposo, em outras palavras, ela impede que gordura se acumule.

A Irisina também tem efeito no metabolismo do ossos, em estudos com ratos, esse hormônio diminuiu a ação dos inibidores de osteoblastos que impedem a regeneração dos ossos, nesse mesmo estudos ratos suplementados com r-irisina tiveram seus níveis de osteopontina aumentados, essa glicoproteína é fundamental para a biomineralização dos ossos, bem como diminui a presença de esclerostina uma substância que impede a formação óssea. Outro efeito incrível desse hormônio nos ossos é a diferenciação de osteoblastos em medula óssea.

Ela também é produzida no tecido nervoso, mais precisamente nas células de Purkinje e é necessária para a correta diferenciação de células-tronco em tecido nervoso embrionário, também tem ação na neurogênese hipocampal e aumenta a proliferação de neurônios nessa região que é a mais afetada pela doença de Alzheimer.

Como aumentar a produção de irisina?

Infelizmente o hormônio irisina não é algo que pode ser encontrada em cápsulas ou em uma planta, exercitar seu corpo é a principal forma de aumentar a produção de irisina.

A alimentação afeta a produção de irisina, o consumo de ácidos graxos poli-insaturados como o ômega-3 tem efeito positivo nos níveis deste hormônio. Um estudo do International Journal of Endocrinology and Metabolism mostrou que a suplementação de 1,2g de ômega-3 três vezes ao dia aumenta o nível sérico de irisina em indivíduos diabéticos.

Irisina tem efeito na diminuição da resistência à insulina, ela age como fator de transcrição para o Glut-4 nos músculos que é um transportador de glicose para dentro dos músculos, consequentemente diminuindo a glicemia.

Ela é produzida pelas células musculares através da expressão do gene Ppargc1a que codifica a expressão do coativador 1-alfa do receptor gama ativado por proliferador de peroxissomos ou somente PGC1α, que por sua vez irá estimular a expressão da FDNC5 que é o precursor da irisina.

Ainda há muita pesquisa a ser feita com esse novo hormônio, uma vez que só foi descoberto em 2012, mas os poucos resultados encontrados mostram os benefícios desse hormônio para a saúde em geral. O lado bom de tudo isso é que esse hormônio é sintetizado a partir do músculo lesado, mais uma evidência de que a atividade física é essencial para a saúde.

hormônio irisina benefícios

Referências

ALBERTO PÉREZ-LÓPEZ, PAOLA GONZALO-ENCABO. La importancia de las miokinas en las adaptaciones al ejercicio físico. Un mundo todavía por descubrir. Volumen 35(4) – Núm 186. Júlio – Agosto de 2018

S.L.DUN, R.-M.LYU, Y.-H.CHEN, J.-K.CHANG, J.J.LUO, N.J.DUN. Irisin-immunoreactivity in neural and non-neural cells of the rodent. Disponível em: <https://doi.org/10.1016/j.neuroscience.2013.02.050> Acesso em: 20 de outubro de 2017.

FAHIMEH AGH, NIYAZ MOHAMMADZADEH HONARVAR, MAHMOUD DJALALI, EBRAHIM NEMATIPOUR, SANAZ GHOLAMHOSEINI, MAHNAZ ZAREI, SAMANEH ANSARI, MOHAMMAD HASSAN JAVANBAKHTMD. Omega-3 Fatty Acid Could Increase One of Myokines in Male Patients with Coronary Artery Disease: A Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled Trial . Archives of Iranian Medicine, Volume 20, Number 1, January 2017.

TOBIAS HOFMANNA, ULF ELBELT, ANDREAS STENGEL. Irisin as a muscle-derived hormone stimulating thermogenesis – A critical update. Disponível em:<https://doi.org/10.1016/j.peptides.2014.01.016>. Acesso em: 20 de outubro de 2017.

JOSÉ MARÍA MORENO-NAVARRETE, FRANCISCO ORTEGA MARTA SERRANO, ESTER GUERRA, GERARD PARDO MORENO, GERARD PARDO, FRANCISCO TINAHONES, WIFREDO RICART, JOSÉ MANUEL FERNÁNDEZ-REAL. Irisin Is Expressed and Produced by Human Muscle and Adipose Tissue in Association With Obesity and Insulin Resistance. The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, Volume 98, Issue 4, 1 April 2013.

James A. Timmons, Keith Baar, Peter K. Davidsen & Philip J. Atherton. Is irisin a human exercise gene?. Nature 488, E9–E10(30 August 2012).

PONTUS BOSTRÖM, JUN WU, MARK P. JEDRYCHOWSKI, ANISHA KORDE, LI YE, JAMES C. LO, KYLE A. RASBACH, ELISABETH ALMER BOSTRÖM, JANG HYUN CHOI, JONATHAN Z. LONG, SHINGO KAJIMURA, MARIA CRISTINA ZINGARETTI, BIRGITTE F. VIND, HUA TU, SAVERIO CINTI, KURT HØJLUND, STEVEN P. GYGI & BRUCE M. SPIEGELMAN. A PGC1-α-dependent myokine that drives brown-fat-like development of white fat and thermogenesis. Nature 481, 463–468 (26 January 2012).

ARTURO ROCA-RIVADA, CECILIA CASTELAO, LUCÍA L. SENIN, MARÍA O. LANDROVE, JAVIER BALTAR, ANA BELÉN CRUJEIRAS, LUISA MARÍA SEOANE, FELIPE F. CASANUEVA, MARÍA PARDO. FNDC5/Irisin Is Not Only a Myokine but Also an Adipokine. Disponível em:<https://doi.org/10.1371/journal.pone.0060563> Acesso em: 20 de outubro de 2017.

Irisina: hormônio termogênico e anabólico produzido pelos músculos
4.4 (88.57%) 7 votos