Pimenta-do-Reino faz mal? Veja seus Benefícios

Por milhares de anos, a pimenta-do-reino tem sido um ingrediente básico em todo o mundo. Ela vem vem do fruto seco e imaturo da planta indígena Piper nigrum. Também conhecida como pimenta-preta, a pimenta-do-reino é comumente usada como condimento.

Além de adicionar sabor aos alimentos, a pimenta-do-reino pode atuar como um antioxidante e oferecer uma variedade de benefícios para a saúde.

Este artigo analisa a pimenta-do-reino, incluindo seus benefícios e efeitos colaterais.

Pode fornecer benefícios de saúde

Compostos presentes na pimenta-do-reino – especialmente seu ingrediente ativo a piperina – podem proteger contra danos celulares, melhorar a absorção de nutrientes e ajudar na digestão.

Pimenta-do-reino é um poderoso antioxidante

Vários estudos mostram que a pimenta-do-reino age como um antioxidante em seu corpo.

Antioxidantes são compostos que combatem o dano celular causado por moléculas instáveis ​​chamadas radicais livres.

Os radicais livres formam-se como resultado de má alimentação, exposição ao sol, fumo, poluentes e muito mais.

Um estudo em tubo de ensaio descobriu que os extratos de pimenta preta foram capazes de resistir a mais de 93% dos danos dos radicais livres que os cientistas estimularam em uma preparação de gordura.

Outro estudo em ratos em uma dieta rica em gordura observou que o tratamento com pimenta-do-reino (piperina) diminuiu os níveis de radicais livres para quantidades semelhantes às dos ratos alimentados com uma dieta normal.

Finalmente, um estudo in vitro em células de câncer humano observou que os extratos de pimenta-do-reino foram capazes de impedir até 85% dos danos celulares associados ao desenvolvimento do câncer.

Junto com a piperina, a pimenta-preta contém outros compostos anti-inflamatórios – incluindo os óleos essenciais limoneno e beta-cariofileno – que podem proteger contra inflamação, danos celulares e doenças. Embora os efeitos antioxidantes da pimenta-do-reino sejam promissores, a pesquisa atualmente é limitada a estudos in vivo e in vitro.

Aumenta a Absorção de Nutrientes

A pimenta-do-reino pode aumentar a absorção e função de certos nutrientes e compostos benéficos. Em particular, pode melhorar a absorção da curcumina – o ingrediente ativo do anti-inflamatório popular cúrcuma.

Um estudo descobriu que tomar 20 mg de piperina com 2 gramas de curcumina melhorou a disponibilidade de curcumina no sangue humano em 2.000%.

A pesquisa também mostra que a pimenta-do-reino pode melhorar a absorção de beta-caroteno – um composto encontrado em vegetais e frutas que seu corpo converte em vitamina A.

O betacaroteno funciona como um poderoso antioxidante que pode combater os danos celulares, prevenindo condições como doenças cardíacas.

Um estudo de 14 dias em adultos saudáveis ​​descobriu que tomar 15 mg de betacaroteno com 5 mg de piperina aumentou os níveis sanguíneos de betacaroteno em comparação com a ingestão de betacaroteno sozinho.

Pimenta-do-reino ajuda na digestão

A pimenta-do-reino pode promover o bom funcionamento do estômago. Consumir pimenta-preta pode estimular a liberação de enzimas no pâncreas e intestinos que ajudam a digerir gordura e carboidratos.

Estudos em animais mostram que a pimenta-do-reino também pode prevenir a diarréia, inibindo espasmos musculares no trato digestivo e retardando a digestão dos alimentos.

De fato, estudos em células intestinais de animais descobriram que a piperina em doses de 10 mg por kg de peso corporal era comparável à medicação antidiarreica comum loperamida na prevenção de contrações intestinais espontâneas.

Devido aos seus efeitos positivos sobre a função do estômago, a pimenta-do-reino pode ser útil para aqueles com má digestão e diarréia. No entanto, mais pesquisas em humanos são necessárias.

Riscos e efeitos colaterais da pimenta-do-reino

A pimenta-preta é considerada segura para consumo humano nas quantidades típicas utilizadas na alimentação e na cocção.

Suplementos contendo 5-20 mg de piperina por dose também parecem ser seguros, mas pesquisas nessa área são limitadas.

No entanto, comer grandes quantidades de pimenta-do-reino ou tomar suplementos de alta dose pode levar a efeitos colaterais adversos, como sensação de queimação na garganta ou no estômago.

Além disso, a pimenta-do-reino pode promover a absorção e a disponibilidade de alguns medicamentos, incluindo anti-histamínicos usados ​​para aliviar os sintomas de alergia.

Embora isso possa ser útil para medicamentos que são mal absorvidos, também pode levar a uma absorção perigosamente alta de outros.

Se você estiver interessado em aumentar sua ingestão de pimenta-do-reino ou tomar suplementos de piperina, consulte seu médico sobre possíveis interações medicamentosas.

Quando armazenado em local fresco e seco, o prazo de validade da pimenta-do-reino é de dois a três anos.

Origem da Pimenta-preta

A pimenta preta que você usa em pó se originou – a maioria dos historiadores concorda – do Ghats Ocidental do Estado de Kerala, na Índia. As bagas verdes, produzidas pela videira de floração Piper nigrum, ainda podem ser encontradas crescendo em estado selvagem naquela área do mundo.

A pimenta-do-reino continua a ser exportada da Índia, mas a Indonésia, a Malásia e o Brasil também cultivam e colhem pimentas-pretas. Pimenta Malabar e Tellicherry vem da Índia, enquanto Lampoong vem da Indonésia. Malásia e Brasil crescem as mesmas variedades, mas de forma mais suave.

Após a colheita, as bagas verdes são deixadas a fermentar e depois secar ao sol. Os grãos de pimenta estão prontos para uso quando as bagas murcham e adquirem uma cor marrom-escura.

Conclusão

A pimenta-do-reino é uma das especiarias mais populares do mundo e pode oferecer benefícios de saúde impressionantes.

A piperina, o ingrediente ativo da pimenta-preta, pode combater os radicais livres e melhorar a digestão e a absorção de compostos benéficos.

A pimenta-do-reino é geralmente considerada segura na culinária e como suplemento, mas pode aumentar significativamente a absorção de alguns medicamentos e deve ser usada com cautela nesses casos.

No entanto, para a maioria das pessoas, apimentar a sua dieta com essa especiaria é uma maneira fácil de dar sabor às suas refeições e ter alguns benefícios para a saúde.

Referências

  • K. Srinivasan (2007) Black Pepper and its Pungent Principle-Piperine: A Review of Diverse Physiological Effects, Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 47:8, 735-748, DOI: 10.1080/10408390601062054
  • Masood Sadiq Butt, Imran Pasha, Muhammad Tauseef Sultan, Muhammad Atif Randhawa, Farhan Saeed & Waqas Ahmed (2013) Black Pepper and Health Claims: A Comprehensive Treatise, Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 53:9, 875-886, DOI: 10.1080/10408398.2011.571799
  • Lobo V, Patil A, Phatak A, Chandra N. Free radicals, antioxidants and functional foods: Impact on human health. Pharmacogn Rev. 2010;4(8):118–126. doi:10.4103/0973-7847.70902
  • İlhami Gülçin (2005) The antioxidant and radical scavenging activities of black pepper (Piper nigrum) seeds,International Journal of Food Sciences and Nutrition, 56:7, 491-499, DOI: 10.1080/09637480500450248
  • Nikolić M, Stojković D, Glamočlija J, et al. Could essential oils of green and black pepper be used as food preservatives?. J Food Sci Technol. 2015;52(10):6565–6573. doi:10.1007/s13197-015-1792-5
  • Fidyt K, Fiedorowicz A, Strządała L, Szumny A. β-caryophyllene and β-caryophyllene oxide-natural compounds of anticancer and analgesic properties. Cancer Med. 2016;5(10):3007–3017. doi:10.1002/cam4.816
  • Jäger R, Lowery RP, Calvanese AV, Joy JM, Purpura M, Wilson JM. Comparative absorption of curcumin formulations. Nutr J. 2014;13:11. Published 2014 Jan 24. doi:10.1186/1475-2891-13-11

Pimenta-do-Reino faz mal? Veja seus Benefícios
5 (100%) 1 votos