Como comprar e usar azeite de oliva extra-virgem

azeite de oliva

A produção de azeite de oliva data de milhares de anos, mas hoje, a indústria internacional de azeite de oliva vale centenas de milhões de reais. Para populações antigas, essa fonte de gordura saudável era considerada um bem precioso e usada por suas muitas capacidades de cura. Além de cozinhar com azeite de oliva, também era um componente-chave em lâmpadas, sabonetes, produtos para a pele e cosméticos.

Depois de chegar à América do Norte em meados dos anos 1500, as oliveiras se espalharam rapidamente para muitas outras nações. Hoje, o azeite é cultivado em grande parte na Itália, no México, nos EUA (principalmente na Califórnia), no Peru, no Chile e no Brasil.

Por que o tipo específico de óleo que você compra é tão importante? Um dos maiores perigos em torno do azeite é que ele tem um ponto de fumaça baixo e começa a se decompor em cerca de 140 graus Celsius. Quando o azeite é aquecido repetidamente ou em um nível muito alto, ele pode oxidar e tornar-se rançoso ou tóxico.

Existem algumas classificações principais para o azeite que determinam como ele foi colhido e fabricado. É provável que você encontre esses tipos quando fizer compras:

O azeite extra-virgem é produzido por prensagem a frio e não usa produtos químicos para refinamento. Também evita processos de fabricação de alto calor que podem destruir os delicados ácidos graxos e nutrientes do óleo.

Azeite virgem vem de uma segunda prensagem depois de virgem extra é criado. Também pode ser derivado de azeitonas mais maduras. Enquanto virgem extra é o tipo preferido, esse ainda é considerado de boa qualidade.

Azeite “light” ou misturas de óleos são feitos com azeite refinado e, por vezes, outros óleos vegetais. Isso normalmente significa que eles foram processados ​​quimicamente e são uma mistura de óleos rançosos e de baixa qualidade que reagiram mal a métodos de fabricação de alto calor.

Sempre compre o que estiver indicando que o óleo é extra virgem e prensado a frio. Aqui estão várias outras dicas úteis para reconhecer e escolher o melhor:

Você recebe o que você paga! Se o preço estiver muito barato desconfie, provavelmente não é puro. Você pode gastar mais em um produto de qualidade e ele terá os muitos benefícios do azeite, tem um gosto melhor e deve durar um bom tempo.

Verifique o rótulo de um selo do Conselho Internacional do Azeite (IOC), que certifica o tipo de óleo usado.

Compre azeite que vem em uma garrafa de vidro escuro que possa proteger da luz e danificar os ácidos graxos. Um frasco escuro: verde, preto etc, protege o óleo da oxidação e de tornar-se rançoso. Evite óleos que vêm em um frasco plástico ou transparente.

Procure uma data de colheita no rótulo para saber que o óleo ainda está fresco. Desde que o seu óleo seja armazenado longe do calor e da luz, uma garrafa fechada de azeite de boa qualidade dura até dois anos a partir da data em que foi engarrafada. Uma vez que o frasco é aberto, ele deve ser usado dentro de alguns meses – e, novamente, mantenha-o em um local fresco e escuro.

Também tenha em mente que uma pista de que você tem um bom produto é se ele se solidifica quando está frio e refrigerado. Isso tem a ver com a estrutura química dos ácidos graxos. Você pode colocá-lo na geladeira e deve ficar turvo e engrossar, mas se ele permanecer líquido, não é azeite extra virgem puro.

Quando se trata de cozinhar com azeite extra-virgem, é melhor usar outros óleos ou gorduras mais estáveis ​​para evitar comer óleo rançoso. Azeite extra virgem é ideal para finalizar pratos ou usar em molhos de saladas, pois isso não requer cocção.

Quais são os melhores óleos para cozinhar?

Como o azeite de oliva não é tão estável quanto outras fontes de gorduras, outras ótimas opções de óleo incluem: óleo de coco (que também é melhor quando é prensado a frio e virgem), manteiga/ghee ou óleo de palma (estável sob alto calor e ótimo para cozinhar ou assar). O óleo de coco é minha escolha favorita, já que a lista de benefícios do óleo de coco é longa – como uma ferramenta antimicrobiana e perda de gordura. Além disso, o óleo de palma tem alguns problemas relacionados à sustentabilidade, e é por isso que é importante obter apenas óleo de palma certificado, se você optar por seguir esse caminho.

Como você pode usar azeite de oliva em pratos crus?

Para fazer um molho rápido e versátil para saladas, legumes ou grãos integrais, combine-o com várias colheres de sopa de vinagre balsâmico e uma pequena quantidade de mostarda dijon. Você também pode assar, grelhar, refogar ou legumes a vapor e, em seguida, adicionar tempero e azeite de oliva quando terminar de cozinhar. Usar azeite extra-virgem em pesto, húmus, pastas, sopas cruas e molhos é outra opção.

Precauções com o azeite de oliva

As maiores barreiras para desfrutar deste óleo de forma saudável são encontrar o tipo certo, armazená-lo corretamente e usá-lo da maneira correta em receitas. Apenas lembre-se de que vale a pena comprar um produto de alta qualidade, considerando o quão benéfico pode ser para você. Também não se esqueça de armazená-lo adequadamente, use-o dentro de alguns meses após a abertura e evite cozinhar com ele.

Como comprar e usar azeite de oliva extra-virgem
5 (100%) 1 votos

10 razões para beber vinho natural e orgânico Se você é alguém que gosta de um copo de vinho ou dois, você ficará feliz em saber que a pesquisa continua a mostrar que os bebedores de vinho obtêm c...
Comer queijo faz mal para o corpo? O queijo é provavelmente o produto lácteo que mais encontramos diariamente. Requeijão nos pães pela manhã, queijo nos nossos sanduíches , macarrão pa...
5 Alternativas Energizantes ao Café Encontramos cinco deliciosas alternativas ao café que o manterão energizado ao longo do dia e oferecerão benefícios surpreendentes para a saúde.Ma...
Resveratrol: O que é, benefícios e para que serve esse nutriente do vinho? Os franceses comem alimentos ricos em gordura, açúcar, bebem mais vinho, mas ainda têm menos problemas de saúde? A resposta a esta pergunta interessan...
Vinagre de maçã: 5 razões para lavar a pele do rosto com esse ingrediente Você pode se lembrar do cheiro de vinagre de maçã. Talvez tenha usado para dor de estômago ou usou para suas picadas de mosquito ou queimaduras solar...